20.8.10

E eis que o machismo se prolifera...


Você já parou pra analisar porque quando as pessoas casam, comumente as mulheres passam por toda uma burocracia pra refazer todos os documentos acrescentando o sobrenome do marido?

Nunca me pareceu ser por prova de amor. Se fosse prova, seria somente feminina? Porque atualmente, quando se tornam 'maridos', os homens tem a opção de acrescentar o sobrenome da esposa, mas são mínimos os que colocam. É mais comum que além de não colocarem, insistam pra ter seus sobrenomes devidamente aceitos e registrados como mais uma prova de matrimônio. Como se não bastasse a certidão e aliança...

Sobre esse assunto escutei um relato e decidi compartilhar porque, pra mim foi revelação! Certamente não será somente pra mim...

É o seguinte: uma estudante de jornalismo escutou um rapaz, sem incargo de consciência, 'admirar' a passagem de uma mulher da seguinte forma: "essa aí eu levaria pro cartório pra colocar em meu nome!".

Para tudo! Isso encaixou como uma luva, ligou as lamparinas do entendimento... enfim, como melhor desejar pra dizer que compreendi o que ficava subentendido. Isso mesmo, ele falou "colocar em meu nome", não "lhe doar o sobrenome com prova do meu amor..."!

 Não é mais uma cantada rídicula tão descabível que chega  a ser cômica... é um comentário carregado de significado! Acaso o que temos registrado em nossos nomes não são bens materiais, propriedades, caros senhores?!



Pois é... como o preconceito e discriminação, o machismo certamente é um dos terrores que assolam a humanidade da pior forma possível: desigualdade de gênero!  Não tão disfarçada assim, se propagada por gerações a fio.

Não estou aqui por uma causa feminista, até porque, por mais "macho que muito homem" que uma mulher possa ser, há diferenças biológicas e físicas que as fragilizam, tornam muitas situações descabíveis  e constrangedoras... o que ainda assim não as tornam desiguais.

 Admitamos que mulheres são mais "jeitosinhas" e detalhistas... o que não inibe uma boa ajuda! Já dizia minha mãe: "quando todo mundo trabalha junto, fica livre ao mesmo tempo para descansar e curtir". Confesso que fico indignada quando me deparo com um casal em que os dois tem rotina de trabalho, e que um homem deixa que a mulher tenha sua segunda jornada sozinha em casa, enquanto ele assiste TV e aguarda o jantar... sexo forte não é?! hahá.

É de criança que nossos pais involuntariamente nos passam os padrões de uma sociedade continuamente machista, quando meninos não podem ter bonecas e meninas ganham panelinhas e bebezinhos pra cuidar. Não é acaso que na maioria das casas os filhos passam a sair de casa com 15 anos sem tamanha preocupação com a hora de voltar, enquanto as filhas com 18, acompanhadas e olhe lá...



São ainda mínimas as casas em que os meninos ajudam nos afazeres domésticos com a obrigatoridade que ainda se despejam nas mulheres, por vezes criticadas quando não os tem como característica de uma moça "prendada e pronta pra casar!".

Pasmem, nossas mulheres são machistas!

Nossas mães são... vão querer que desconfiem da sexualidade de seu filho sendo visto com uma vassoura na mão ou com um pano de prato pendurado nos ombros enquanto todos os outros garotos vão jogar futebol? Que maldade!

Muitas namoradas são... afinal, é somente boa ação ter que em toda refeição confeccionar o pratinho do amado... claro!
Mães, os meninos de hoje podem deixar a cama sem fazer, não lavar nem roupas íntimas e nem saber fritar um ovo, mas ter hora certinha pra ter a mesa posta para comer, certo? E.R.R.A.D.O! Vocês prejudicarão seus filhinhos! Esses homens, coitados! sofrerão se tiverem que enfrentar morar só ou mesmo para encontrar outras mães na forma de esposa, se conseguirem casar!

Há muito a se pensar... são das coisas pequenas e imperceptíveis que começamos a mudar todo um costume de mentalidades tacanhas. Não eduquem crianças para serem machos ou fêmeas, mas para serem gente!

Se for assim, beem:::


2 Comentários:

  1. Acho que vc está vendo a coisa de maneira muito fútil. Ah, perae, né Laís!?!

    Não somos iguais. Fato.
    Se der panelinhas e bonequinhas aos meninos, eles vão virar viadinhos. Sem preconceito, é claro... (...) Já ouvi casos assim. u.u

    Sociedade machista... É verdade, em parte. Há casos e casos.

    Acho que toda mulher deve ser independente. Mas, obssessão por isso é loucura!
    Vcs são o sexo da beleza. Agradáveis de se olhar em todas as estações. Principalmente no inverno, que não temos as flores.
    A idade, nada haver. O homem tem instinto de defesa mais apurado do que as mulheres, na maioria dos casos (...). E é natural proteger a filha por mais tempo. Num mundo tão perigoso como é... ushushsush Mas, é sério. É outra coisa instintiva. A mulher É o sexo frágil. Tem que proteger, pó!

    ResponderExcluir
  2. huahuhauhau
    Ops! Desculpe Xeris, mas não coloquei os fatos com futilidade... citei exemplos claros de uma sociedade que continua expandindo o machismo e isso não rebate de forma alguma a fragilidade, beleza ou qualquer outro aspecto da natureza feminina, porém, segurança é direito de todos, independente do gênero... preocupação e proteção para ambos os filhos!
    E quanto aos brinquedos, talvez possam influenciar na sexualidade, mas creio que minimamente pelo fato da inocência de uma mente infantil e da maldade adulta!*
    Na verdade o intuito de citar os brinquedos não foi um incentivo a dar panelinha à meninos, falo da ligação desde pequena da menina com bonecas (filhos) e panelas (elementos domésticos).

    *Eu brinquei de carrinho e meu irmão pegava minhas bonecas, ambos continuam heterossexuais...

    ResponderExcluir

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf