7.11.10

Imaginário.

"Te espero porque sei que amanhã toda minha vida irá mudar,
mas o que me deixa mais irado é saber que 
esse amanhã talvez poderá demorar pra chegar uma eternidade...
e eu te espero porque sei que só contigo posso aprender a sonhar,
e posso aprender a me esquecer do que não mais quiser lembrar,
mas só você pode me ensinar..."
(Iupi - Na Madrugada)



Mais uma vez o teto da minha cama é palco de uma peça extraordinária. Ela movimenta suspiros pela imaginação de ao meu lado ter um protagonista, meio idealizado, mesmo que num futuro distante... Eu sei, já passei da idade de acreditar em príncipes ou em transformação de sapos para despertar belas adormecidas. Mas sei que em uma linha tênue entre o reino encantado e o mundo pirado existe aquele que não me fará cansar ou desistir, será meu, sincronizado, inusitado, apaixonado, de qualquer jeito.

Teletransportei ao meu roteiro de exigências habituais que são pautadas em  conversas ao vento. Não, não é o trivial que me deixa babando por meu final feliz... Misturei receber cartas como de Gerard Buther para Hilary Swank em PS. Eu te amo, dormir no colo de Robert Pattinson como a Kristen Sterwart na saga Crepúsculo, ter desejos realizados como Mandy Moore por Shane West em Um amor pra recordar, uma serenata como a da Amanda Byter pelo Matt Long em Ela e os caras. É, bobeira minha! Há quem prefira o beijo exótico do homem aranha por Tobey Maguire e Kirsten Dunst ou transar na cadeira de dentista num ato  de liberdade, como Julia Roberts e Clive Owen em Closer. Mas ainda admiro os tipos mais certinhos, menos complicados e mais encantadores. O bom e velho par de mãos dadas e beijinho na testa à moda antiga ainda é o elo pelo qual meu coração acelera e pede pressa.

Meu amor imaginário é mais velho, mas tem mais ou menos a mesma idade que eu. Não joga desigual nem tem história mal resolvida. A gente compartilha planos de viagens e criar cachorro no apartamento. Bem esquisito! É dele o sorriso mais belo do planeta, especialmente quando me doa em desconcerto por alguma coisa que lhe desconforta presenciar, e eu finjo ficar brava, mas acho lindo. É dele o olhar mais manipulador que eu conheço, mas confio. Desestrutura toda aquela base forte que tive. Resisto. Talvez eu o ame mais porque ele não necessita de mim. O carro preferido dele se tornou o meu também, mas os times não são iguais. Ele me abraça de um jeito que chego perto do céu e nos transubstanciamos no intervalo entre o que dizemos e o que as palavras não alcançam. Cedo com manhas, rorona como um gatinho, até tarde com um dengo emburrado, safado! Ele apoia meus sonhos mesmo que não concorde e eu o admiro tanto... consigo aprender seus métodos de me ensinar a ser melhor. Com ele eu mergulho sem precisar ter medo pois sinto o desejo de eternizar nosso universo, inexplicável e cheio de sentido. Já não sei se o mundo que estou é real...

Acordo, e percebo o modo corriqueiro, a lista que só de pensar torna possivelmente impossível encontrar tal achado. O charme misto com dose de conteúdo. O me fazer rir de tardinha, entender meu silêncio quando acordo e conseguir me fazer suspirar à noite. Não precisa saber dançar e cantar, mas arrisque os passos que me guiarão e sussurre bonitinho no meu ouvido. Que me acompanhe pra academia, me ajude a pirar na cozinha, troque massagens e mimos e diga em alguns sábados a noite: "amor, vamos fazer um programinha diferente?". Que abuse de criatividade e sensibilidade com bom senso. Não precisa exibir marca, bom gosto é suficiente. Que saiba o valor das coisas simples, que determine o valor das coisas prósperas, me diga coisas bobas e arranque tudo que for capaz só com o olhar. Alguém que me paralise antes de me ligar no 220Vts. Alguém que divida, nem que seja o último pedaço da pizza e beijo de fim de noite.

Pode ser alguém que eu nem conheça ainda, pode ser alguém que esteja comigo o tempo todo. Eu não sei! Imagino. Sinto o cheiro. Toco a pele e o coração. Sonho. É real. Talvez como numa metáfora de cinema, o destino é a ponte que me fará encontra-lo como meta. Um dia a gente se bate, ele me reconhece e vai ser motivo pra que eu consiga dizer "Eu te amo" como nunca disse em nenhum instante da vida. Agradecerei por essa pessoa inteira que jamais caberia em minha metade e que somente para somar, com tantas alternativas, preferiu a mim. Tenho fé em Deus!



0 Comentários:

Postar um comentário

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf