12.12.10

Não é normal o que eu sinto,

Talvez amar seja o triunfo da imaginação sobre a inteligência,
porque eu amo sem entender nada e imaginando tudo. =]




Platônico até pode ser, porque pra quem não cotumava lembrar dos sonhos, perdi as contas de quantas vezes sonhei com você. Não resisto nem mesmo a migalhas, adoro quando meu coração descompassa ao te ver. Gosto de saber que você pode fingir não perceber por não sentir o mesmo, me sinto aliviada. Além do seu nome, onde trabalha, que sabe se arrumar, mas também fica bem sem camisa, não sei mais muita coisa sobre você...

Fico horas imaginando o que você prefere e o que detesta fazer, o que te faz sorrir ou ousou te machucar, qual a sua cor preferida e o que você nem cogita na vida, como você dorme e a que horas desejaria acordar, pra onde pretende viajar e se gosta de perder a noção do tempo em casa, se se contenta com um filho ou quer povoar a civilização, se o seu time será campeão, se vai passar o reveillon na praia, se gosta de cinema… gosto muito mais de me imaginar do seu lado em cada uma dessas situações.

Olhos fechados e sorriso bobo, apaixonada pelas imaginações de sermos taxados um casal. Desperto gargalhando, idiotices: Será que sua mãe me adoraria e seus amigos me elegeriam a sua melhor namorada?! Sei que na realidade você não é perfeito, e é pior quando tenta disfarçar, mas nos meus sonhos bem premonitivos possui teimosas qualidades encantadoras.

É bom acordar pensando em você depois de horas me revirando pra conseguir dormir pelo mesmo motivo. Bom? Ainda consigo achar e seguir o dia torcendo para te encontrar, mesmo que seja muito rápido, mesmo que eu sorria por não conseguir falar quando isso acontecer. E guardarei nas lembranças como um momento lindo, só pelo fato de você me dizer: Oi!

Talvez tenha planos e estratégias para me aproximar. Os mesmos que chamo de expectativas e deixo frustrarem-se antes de realizar. Com você é diferente! Não estou dormente, estou demente. Mesmo a distância e falta de contato não me assustam. Pelo contrário, imagino um amor infinito com a disponibilidade de te esperar. Sinto ciúmes, e por quê? Não quero estragar tudo. Se o interesse é meu, reconheço que o orgulho poderia deixar rolar uma aproximação. Sei que derramaríamos gradativamente defeitos e somaríamos descobertas de qualidades - seriamos conquistados, ambos, colhendo da intimidade o que seria relevado, considerado e continuaria lindo.

Nem da infância me lembro de ter vivido um amor como esse. Só agora entendo o motivo que me levava a fugir desesperadamente cada vez que alguém ameaçasse dizer um “quer namorar comigo?”. Acho que te esperava. Mas você não? Ou não me reconheceu? Porque? Agora, mais que nunca, me prendo ao mundo da imaginação, nem que seja por algumas hora ou dias. E antes que surja um personagem que supostamente perpetuará meu fim, quero continuar te amando e vivendo essa sensação mágica, que só mesmo nos contos de fadas é permitido.

Nesse momento eu me questiono a possibilidade da magia da minha imaginação se tornar real.

6 Comentários:

  1. fico impressionada em como ela consegue descrever tudo em um simples e lindo texto!
    sabe muito bem que a sua interrogação é mútua e muito 'familiar,né??Rsss..

    ResponderExcluir
  2. huahauhauahu
    Aiin que visita boooa!
    volte sempre amiiga...
    Enquanto isso aguardamos que nossas interrogações sejam transformadas em exclamações pertinetnes!

    ResponderExcluir
  3. é por mim este amor todo???

    se não for...

    ciúmes tá batendo forte!!!

    XP

    bjs...

    ResponderExcluir
  4. huhauhauhuhauahuahau
    eu imaginei uma proeza bem desse nível quando tu me perguntou se eu já tinha lido o comentário...
    Tô amando não. :D

    ResponderExcluir
  5. hum...

    sinto-me mais aliviado...
    +fácil conquistar um coração em stand by...

    XD

    bjs...

    ResponderExcluir
  6. kkkk
    não teria a mesma expectiva, mas se te deixa aliviado...

    ResponderExcluir

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf