9.1.11

Obedecer por amor



Partindo do presuporto de que alienígenas são criaturas de outros mundos e alienados são indivíduos alheios ao foco, eu procuro responder uma pergunta que me veio despejando uma irritante pena,  relevada devido à ignorância: "Você sabe que religião aliena, não é?"

É díficil para humanos seguirem perfeitamente uma linha coerente em um mundo torto, fácil ser taxado como "de outro mundo" na tentativa,  exatamente porque é mais fácil ser igual em meio a uma multidão teimosa e acomodada em uma crença que tem somente o intuito de satisfação própria que caminhar na contra-mão. Mas é tão simples entender que o mundo só tem um centro, Aquele que deixa um vazio a ser procurado para equilíbrio e direção, que se encaixa perfeitamente na lacuna de adoração que existe dentro de cada um de nós, mas que desviamos quando tentamos ocupar com admirações ou simpatias à outros ou nós mesmos. É incrivel ser platéia de como podemos utilizar nossas capacidades intelectuais para complicar discussões e análises em busca da solução que está estampada... acima das nossas cabeças!

Religião não aliena, desde que não seja praticada de uma forma bitolada com excassez de conhecimento (e aqui eu falo, todo e qualquer conhecimento), aí sim,  um fator capaz de lhe deixar alheia ao Deus vivo que incentiva raciocínio. Religião é o caminho para a liberdade que tanto se busca: na luta de acreditar que somos donos de nós mesmos, nossas vontades, carências, sentimentos, reações, necessidades, fraquezas. Liberdade das egocentricidades, culpas e dos vícios que tem tragado todos que deixam de lado a noção de que "tudo é lícito, mas nem tudo convém" para utilizar a experimentação como desculpa do aproveito temporário. Liberdade de acreditar que temos o poder de dar jeito no mundo por mérito humanos!

Soberba e teimosia são "qualidades" alienáveis, e se a religião, no sentido de pessoas que se reunem reconhecendo-se carentes de Auxílio (não por mero interesse em salvação), dá a possibilidade de minimiza-las potencialmente, vale a pena nos elevarmos ao "outro mundo", onde cientes de que quem  ama agrada, poderemos desfrutar da simplicidade que se tornaria a vida sob o domínio do nosso Criador enquanto não chegamos à eternidade, que quer seja verdade ou não, não estaremos sendo diminuídos ou deixando de aproveitar nada edificante. Mas isso realmente seria muito humilhante pra macaco sabido se submeter...


4 Comentários:

  1. Já me fizeram essa pergunta tbém, pq não se dão conta que o mundo que eles vivem, do prazer instantâneo, é o que na verdade aliena e os torna cada vez mais seres de mente pequena, vazia e dependente...
    O meu Deus abre horizontes infinitos à minha frente e me dá o que nada nem ninguém nesse mundo pode tomar: A verdadeira felicidade de ser amada e Salva por Cristo!
    Ótimo texto fihota...parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Mamãe... toda dádiva à Ele, responsável por tudo de bom que pode derivar de nós, não é verdade?!
    Nosso Deus é um Deus de milagres, é o Deus do impossível, é o Pai e a Eternidade em vida, amor e possibilidades... acho que é mais difícil entender o valor que se dá ao instantâneo que ceder a graça de senti-lo a cada momento na direção e providência de nossas vidas. ;)

    ResponderExcluir
  3. Amiga que bela postagem... realmente obedecemos por amor...
    Muito linda eu fiquei maravilhada com belissímas palavras...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. O Amooor nos move, que sejamos instrumentos sempre! Amém. p//

    ResponderExcluir

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf