23.2.11

Aos planos




Se sozinhos fazemos planos, certamente em casal eles duplicam. Se um casal não faz planos é desconfiável que não está nos planos individuais a construção de um futuro juntos.

Antes ou no início de um relacionamento é precipitado planejar, mas depois de um certo tempo o amor aponta os passos seguintes, até sem querer! Viver o momento, deixar rolar, ser eterno enquanto dure é bem evasivo depois de certo tempo de convivência. Um estranho caso a se analisar!

Eu conheço uma princesa que quer e acredita que casará, porém, depois de anos no namoro está vivendo anos no noivado, sem motivos, nem mesmo financeiros instantâneos e futuros, que compliquem o acontecimento da cerimônia. Tudo muito bom, tudo muito lindo... ou seria instável? Eles combinam e se divertem naquilo que costumam fazer juntos. As discursões são divertidamente leves e o que remete a um futuro não determina previsões.


Creio não ser pessimismo da minha parte afirmar que se numa situação como essa, você concordar com seu "amor" em não fazer planos deve ter ciência de que algo de errado está acontecendo e que talvez o laço esteja sendo seguro pelo costume da acomodação, pelo medo das reações alheias... há medo, de ambas as partes. Medo de perder e medo de machucar. É como se o tempo fosse trazer um destino. Enfim, o respeito e a amizade, acima de tudo, é o que sustenta a relação. Eu ouso dizer que independente das consequências, se não for para ser feliz, é melhor ter coragem para admitir que não conseguirão ser plenamente felizes e completos juntos e nunca é tarde demais para reconstruir duas histórias!




Vejam bem, é comum quando se gosta sonhar, imaginar, planejar e querer colocar em ação. Você sente o abraço e imagina como seria bom aquela sensação todo dia ao retornar pra casa.  Nos seus planos de realização a pessoa ocupa um lugarzinho especial, nunca será esquecida, é mais fácil que você esqueça os velhos planos! Você olha para pessoa e procura meios de passar o próximo inverno juntinhos. Você não que vê apenas arrumada ou satisfazendo suas vontades, você quer vê-la e conhecer cada aspecto da sua vida. Você termina uma ligação imaginando a próxima, assim como acontece com os finais de semana. Você já se acostuma e se envolve nos problemas de família e dos amigos. Você se destrai e o pensamento distante trás a sensação de que em qualquer lugar ou situação em que esteja só, há aquela presença saudosa e confortante, que instimula maior atenção para retornar seguro para o lar! É imaginar o sorriso ao entregar o presente e preocupação com a conversa que possa magoar. É detectar o cheiro e ouvir a voz a distância. É sentar e descobrir afinidades, passar a gostar do que o outro gosta, ceder quando necessário. É planejar dizer "eu te amo" novamente amanhã!

É verdade que falar em casamento e casa e filhos e rotina e diferenças e consiliação é assustador pra muita gente, mas cada fase trás seu nível de responsabilidade e capacidade de enfrentá-las. Se houver amor no relacionamento a vontade de continuar e avançar torna perceptível a sintonia e vem aquela necessidade inquietamente gostosa como consequência natural.

Se por um acaso se planeja por dois ou nem se planeja mais, é preciso encarar que a falta de planejamento pode não ser derivada da falta de tempo ou condição, mas sim de amor! Não vale a pena sonhar sozinho quando os planos deveriam ser a dois. Não se constroi uma história onde um personagem é fantoche ilusório sendo que na vida real tem vontade própria...

Existem os objetivos materiais como a compra do apartamento e carro, a viagem, os presentes… mas os planos mais valiosos são os bem simples e que trazem tantas perspectivas e segurança. Vai dizer que não é instigante quando numa conversa comum surge desprenteciosamente aquele "quando a gente casar..." proveniente da empolgação na paixão?! É diária a mania de planejar o futuro em pequenas bobagens quando se vive uma relação sólida. E faz bem, ajuda a esquentar o amor quando o desejo de estar junto no futuro é recíproco.

Se por um acaso em dupla faltar criatividade nos planos há um que não falha: cuidado, verdade e atenção com a união!

(O clipe acima, da música "I love the way you lie" do Eminem com a Rihanna está muito bem feito, eu gostei da maneira como a Megan Fox e o Dominic Monaghan (série Flashforward) interpretam como arde amar mentiras, nem que sejam as próprias!)

0 Comentários:

Postar um comentário

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf