16.3.11

Felicidade a quem ama

A felicidade aparece para aqueles que choram,
 para os que se machucam, 
para os que buscam e tentam sempre,
 e para aqueles que reconhecem a importância
das pessoas que passam por suas vidas.
(Clarice Lispector)




Não costumamos pensar na pessoa amada distante do alcance do melhor que podemos dedicá-lo, mas esse é exatamente o assunto de hoje: historinhas mais corriqueiras que deveriam e que só passando pra entender de uma forma menos simplista o que é ter um amor não recíproco e pior, ver seu amor ao lado de outra pessoa. E feliz!

Era um casal bastante complicado, o primeiro relacionamento sério dos dois, mas infelizmente só ela conseguira edificar algo além de paixão. Chegou o dia do fim, para ele taxativo, para ela eternizada a esperança de retorno... mas com o tempo ele conseguiu uma pessoa para amar e a pessoa também o amava. Agora seria uma história perfeita! Existiram surpresas desagradáveis para o novo casal, mas que foram superadas porque juntos eles queriam ser um casal. Casaram, tiveram filho e um "encosto" constante... porque anos se passaram, mas aquele amor de ex., que não precisou ser esposa para ter grandeza, continuou assombrando a relação. Pode ser por maldade que ela só inferniza a vida da esposa do rapaz, mas não é por maldade que ela não consegue tirá-lo da cabeça e do coração.

Solução???

Era uma garota instável, como todas as outras sonhava com o amor, mas não fazia dele o motivo de cada respiração. Sempre teve medo de sofrer e foi sendo arrebatada por seus medos que conseguiu o apogeu do sofrimento. Ela estava amando calada, sabia que era impossível que fosse imperceptível. Ela conseguiu alguns contatos físicos que não se tornaram proximidade nem relacionamento. Alguns podem dizer que é paixão e que passa, mas quem conhece o amor sabe que ele não passa nem com a distância, nem com o tempo... o centro das atenções podem mudar, mas a cada possibilidade de proximidade aquelas sensações retornam todas e intensas. Ela se martirizava, se culpava, se julgava, mas vivia esperançando a concretização de amor que carregava trancado na garganta, nas mãos, no coração, nos olhos e até nos pés...  por mais que quisesse se iludir percebia que a cada dia não construia nem uma boa amizade. Ela sabia que ele nunca teve nenhum interesse além do físico, ela sabia, mas e daí? Era só ele que proibia qualquer outro encaixe perfeito para seu coração. Era ele que como ela queria namorar, casar e procurava um outra mulher...

Solução???


Foram meses de espera até que ela conseguiu. Ela soube esperar até que todas os aparentes empecílhos caíssem por terra. Ela conseguiu, conseguiu um milagre! Conseguiu resgatar um cidadão que já não tinha coragem para se apegar, conseguiu fazer com que seu amor fosse valorizado, conseguiu fazer certa diferença entre a concorrência. E na mesma velocidade em que ela conseguiu e já se regozijava com segurança, destrui-se tudo, porque nem na tentativa de relação seus perfis se encaixavam: eram mundos diferentes, tão diferentes que eram aversos...

Solução???

Era amor e ninguém, nem mesmo ela poderia desconhecer isso. Mas o amor era dele... Ela terminou o namoro uma vez e por pena do estado que ele ficou, ela voltou. Não era amor, era costume e apego que o tempo havia trago para aquela relação de alguns anos. Eles conseguiam ser felizes juntos, porque moravam distantes... mas ao saber que ele planejava mudar sua vida para se aproximar, ela ensaia antecipar o que sempre teve em suas mãos: o ponto final. Ela reclama de alguma coisa que lhe agrada e ele não faz questão de aceitar, ela procura um motivo além da falta de amor para acabar. Ela tem vários motivos... mas ela não queria fazê-lo sofrer, não entendendo que a cada dia que passava era construído mais um plano, mais um sonho, mais uma virtude ao lado dela, que teria que ser deixada de lado... ele perderia a base que havia lhe transformado até alí.

Solução???


Fora de situações assim afirmamos: "Quem ama quer que a pessoa seja feliz!". É verdade, mas pouco se lembra que a felicidade é desejada ao nosso lado! Relação é coragem, sorte... mas pode ter falta dos dois. Tantas e tantas historinhas eu podia contar, mas a suma é que nem todo mundo viverá o amor. Ao estilo mulçumano: "Cada um tem que se conformar com sua sorte!". Não há soluções. Cada história constrói a dor e as surpresas que carregam em suas páginas. O que se pode dizer é que aos desamados resta o equilíbrio... você não morrerá dizendo que nunca teve um amor, talvez que nunca viveu. Se for propósito divino você encontrará uma companhia... talvez irá amá-la, talvez irá sentir-se seguro ao seu lado, talvez ficará só e na companhia das lembranças de momentos de felicidades... mas o concreto é que se o amor não aconteceu, não adianta achar um culpado. E se a pessoa amada conseguiu construir uma relação amorosa com outra pessoa, o sentimento que se deve forçar é felicidade, sim... felicidade. A pessoa a quem você ama está feliz, com uma pessoa que você não tem que rejeitar ou achar defeitos ou odiar, porque é ela quem lhe faz feliz... 

Não se pode viver a vida morrendo de amor. Se supere, mude o foco e você se surpreenderá com a força interna que tem: aquela força divina que faz com que você consiga fingir alegria quando está triste, sorrir quando o que mais se quer é chorar, consolar quando se precisa de consolo. A força que faz você ver a pessoa amada com outra e rir com os olhos cheios de lágrimas, amando em silêncio. A força que faz com que você espere mesmo quando não se acredita em retono, ter fé naquilo que é difícil de acreditar. E reconhecer, elogiar quando se tem vontade de maldizer... A força que transforma raiva e mágoa em perdão e faz perdoar quem não merece nem quer desculpa. A força que faz calar quando se quer gritar todas as angústias e se afastar querendo roubar pra si. Manter-se calmo no desespero e fazer alguém feliz com o coração em pedaços. Ter a força de lutar pela vida por mais difícil que seja viver nela!


2 Comentários:

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf