13.4.11

Tá doendo?



Tá sofrendo. Sei... se não for por amor é doença! Felizmente ou infelizmente, porque não deveria ser assim, a proporção de sofrimento por amor que chega às minhas portas, melhor dizendo, aos meus ouvidos, vocês não tem noção de quanto é maior...

Terminou por vontade do par, somente dele e o sentimento continua vivo e ardendo. Dessa vez não foi traição, legal... mas foi pouco tempo para ser trocado/a?! Hum... - menina, se dê chance de ter um novo amor. - Cara, você não deve julgar todas as mulheres por uma e, se tornar fiel à putaria não te levará a lugar nenhum...

Dói, eu sei! O amor parece mesmo uma doença quando não pode ser vivido e quando toma proporções maiores que o amor próprio. E foi com essa certeza, sem conseguir tomar nenhuma medida para refutá-la, que uma amiga afirmou: Eu não sei o que dói mais!

Não se tratava de esquecer ou viver morrendo de amor, se tratava do sentimento de ter sido trocada ou permanecer na relação enganada até deixar de amar. - "Eu preferia que ele tivesse 'virado gay'!" - Ahhh, minha amiga nunca imaginaria que teria apoio. Talvez eu não seria a pessoa mais indicada pra expressar ideologias pessoais nesse momento, - estranha! - comumente ouço, - do contra! - com o peso da dificuldade que é sustentar o que carrego na cabeça e não permeia a cabeça de muitas ou até nenhuma pessoa que eu conheço. Mas eu encaro, me encaro...

É o seguinte, vou explicar no meu ponto de vista feminino e peço pra que vocês meninos invertam em suas cabeças: ser trocada quando se ama é terrível e a maioria das pessoas sofreriam mais se a pessoa trocasse de opção sexual. Mas no meu caso, me faria sofrer mais ser trocada por outra mulher...

Calma! Antes que você grite - INSANIDADE - e pare de ler e até visitar o blog eu vou ser rápida em explicar: 

A OUTRA, eu tenho tudo que ela tem e poderei proporcionar tudo que ela proporciona, então a situação trata-se de escolha e na "luta" eu fui "preterida". Faltou alguma coisa que nunca enxergamos como algo em torno de falta de reciprocidade do sentimento, mas partimos para coisas como insegurança, sofrimento... mas se ele terminou com você porque percebeu que não gosta de mulher, a proporção do problema diminui,  é questão de opção sexual dele e você poderá continuar amando, ele vai continuar te tratando com carinho, mas o carinho não irá te machucar pois não irá te afetar como mulher...

Certamente vocês podem estar pensando: ela devia estar tentando consolar a amiga e fica colocando 'caraminholas' na cabeça da 'pobre'. Talvez até minha amiga esperasse um colo para 'coitada' ou uma repreensão daquelas idéias, mas eu não poderia simplesmente dizer a minha amiga que o que dói menos é não pensar, não lembrar, não sentir. Não seria honesta! Se escultasse isso não me satisfaria... porque sei que numa situação dessa não é voluntariamente que apagamos e paramos de sofrer, nem mesmo o tempo é capaz de fazê-lo, ele somente muda o centro das atenções...

O fato é que homens, mulheres... quando se tem sentimentos fortes, perder por algum motivo que tenha pernas, braços, cabeça, qualquer coisa palpável e pensante é um sofrimento, mas há formas mais compreensível, de doer menos e se sentir melhor como humano enquanto não passa...  Niguém quer mais brincar de mal me quer gente!!!

0 Comentários:

Postar um comentário

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf