29.2.12

Importância afetiva X ganância profissional

Mais uma vez o texto da Licia Manzo em A Vida da Gente, foi exatamente o que eu precisava para trazer uma discussão que há tanto desejava. Fiz assim óh: fiquei atenta a tudinho e trouxe pra vocês.

Trata-se de um diálogo entre Alice (Sthefany Brito) e seu pai, Cícero (Marcello Airold), a respeito de uma conturbação na relação da moça com seu namorado...


Alice - O João é um dos caras mais talentosos da faculdade. É um profissional maravilhoso e eu admiro muito isso nele, claro. Mas acontece que nos últimos finais de semana ele passou totalmente trancado dentro de casa, totalmente off, mergulhado no trabalho, a gente nem olhou um pra cara do outro.

Cícero - Filha, eu não conheço bem a área de vocês, mas carreira em geral é assim mesmo, no início precisa de muito investimento.

Alice - Mas taí uma coisa que eu discordo pai. O futuro não pode estragar o presente! Claro que eu acho muito legal o João querer uma casona, querer o carro do ano, uma casa na praia, mas a pessoa não pode abdicar da sua vida para poder pagar. E eu sinto o João muito sobrecarregando com essa ambição profissional, sabe?!


Cícero - Alice, ninguém consegue um lugar de destaque num ambiente competitivo se não mergulhar de cabeça...

Alice - Pois é, mas se for assim eu não quero isso pra mim, pai. Não quero isso pra mim porque eu acho um absurdo a pessoa não ter um dia de folga pra sair com a namorada, poder dar uma volta com amigo... até porque um dia de descanso, recarregar as baterias, faz bem pro próprio trabalho.

Cícero - Eu sei disso, mas as vezes não é uma questão de escolha, mas de oportunidade.


E eu achei a cena tão completa, mas tão completa, que poderia ficar caladinha na base do ctrl+c - ctrl+v, viu?! Mas como o discurso anti e pró ganância profissional é uma constante, não somente na vida de mulheres que tem a sorte de se relacionar com alguém que pensa no futuro e quer estar beeem nele, como daquelas que sonham, e ainda entre os mocinhos que correm atrás...

- Ah, mas mulher gosta de estabilidade! - mulheres confessam, homens têm certeza.

- Ah, eu quero antes de qualquer coisa minha independência financeira... - mulheres modernas, homens aceitam.

Vamos apertar o freio por aqui! Pergunte-se que tipo de pessoa você quer ao seu lado e sigamos e frente: Quando se trata de estabilidade numa relação onde não há intere$$es - sim, é importante e necessário frisar este aspecto -, acima da estabilidade financeira é imprescindível a estabilidade afetiva... porque, que relação vai adiante sem diálogo, sem tempo para regar e fazer crescer?! Que relação vai ter futuro se não for construída com atenção, carinho, dedicação e cuidado... no presente? É escolher criar oportunidades!

Homens e mulheres em busca da estabilidade é digno, é louvável... mas viver em torno da ganância é preocupante. Qualquer parceiro entende ausências e cansaço e preocupações - não desleixe e desatenção - de um profissional equilibrado, que sabe dosar corretamente as instâncias de sua vida, do contrário, nem merece!

No futuro, além de dinheiro - que é material e passageiro, diga-se de passagem - vai ter alguma coisa permanente e verdadeira em sua vida, benzinho?!

Na novela, Alice recebe uma ligação de João confirmando a viagem que há tempo vinha sendo adiada e dá uma lição no pai:

Alice - Olha aí, tá vendo? Às vezes é uma questão de escolha sim, pai. O João não pegou mais um grande trabalho pra gente poder viajar juntos. Sabe o que isso significa? Ele viu que existe um caminho no meio, ele viu que a nossa vida juntos é tão importante quanto a nossa carreira. Isso é muito importante pra mim, pra ele também...

E salve a importância bem dedicada às pessoas e não às coisas!

2 Comentários:

  1. bem interesante oq vc escreveu gostei muito.

    ResponderExcluir
  2. A gente precisa dosar o tempo pra tudo, não é verdade?! em especial pra quem amamos...

    ResponderExcluir

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf