7.3.12

Voltar com ex.

"Se uma pessoa te engana uma vez ela merece uma surra,
mas se a mesma pessoa te engana novamente, você que merece uma surra!"



Voltar com ex. Eita questãozinha que envolve um aglomerado de outras questões...Veja bem, eu não sou generalista, mas se minha mãe deixou algum ditado bem incutido na minha cabeça, foi que "quem apanha três vezes no mesmo beco é descarado", e não precisa ser necessariamente três vezes...

Sim, eu acredito que as pessoas mudam quando querem e especialmente evoluem quando gostam, mas, particularmente não incentivo relações bate-e-volta. Acredito que para que uma relação termine todas as tentativas de fazê-la dar certo devem estar escassas. Não se termina no primeiro impasse, mas o desgaste deve ser extremo. Terminar uma relação deve ser uma atitude segura e concreta, porque dar tempo ou interrompê-la para mais tarde tentar reconstruir - apesar de que ninguém prevê isso, não é?! - dá trabalho na adaptação, além de que é muito simples o pensamento: "qualquer coisa termina novamente".

Terminar é para não ter volta mesmo, senão vira brincadeira. E não me venha com aquela brincadeirinha de recordar é viver! Lembro de ter lido uma frase engraçadinha alguns dias atrás no facebook, dizia mais ou menos assim: voltar com ex é como comprar um carro que já foi seu, volta com o mesmo problema e pior, mais rodado. Prejuízo né não?!

#Prestatenção, talvez eu que seja desconfiada demais, mas é aquilo: se traiu não há confiança que seja reconstruída plenamente; se era ciumento, inseguro e possessivo, a menos que esteja anestesiado, não curou; se era birrento, manhoso, egoísta, pode fingir pelo tempo que tiver os desejos atendidos; se aos 20 e lá vai anos não tinha maturidade, experiência não é diploma...

Se com toda aquela magia do primeiro encanto você não conseguiu superar as diferenças, acho difícil engatar a segunda ou a terceira marcha para acelerar. Entendeu?! Vai estar sempre arranhando. Tenho minhas dúvidas das razões para uma nova tentativa, das historinhas que nunca têm fim... porque, não é desespero, medo da solidão, falta de opções ou pressa, apego por querer ou achar que ama somente aquela pessoa, ou fé na regeneração avançada, que fazem uma relação prosperar.

Conheço caso de casal que decidiu terminar o namoro e continuar ficando porque assim se davam melhor. Outros que nem chegaram a ser namoros assumidos... Casos e casos. Tem caso de falta de possibilidade ocasionada pela fase, distância também. Porque... Existem excessões? Claro! E se for o teu caso considere-se sortudo e dessa vez segure a pessoa que você gosta com todas as forças. Coloque na balança a falta que você sentiu do beijo, das brincadeiras, conversas e até das brigas. Reconheça logo que não existe perfeição... e nenhum conselho, nenhum "achismo" de ninguém de fora vai viver a relação em seu lugar!



1 Comentários:

  1. Eta menina arretada! Só repeti o que ouvi, viu? Mas acredito tb que confiança é difícil de ser restaurada. E numa relação tão definitiva como numa em que escolhemos alguém para compartilhar a vida, ela é simplesmente essencial. Sem ela lá se vai o respeito, a consideração...

    ResponderExcluir

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf