19.9.12

Os enviados.


Eu acredito que as pessoas entram na nossa vida por um propósito, mas algumas por um específico: algo assim como nos fazer "errar"! Não sei... na vida, precisamos de versatilidade e, se o universo sente que não iremos conseguir preencher ao menos parte das possibilidades sozinhos, acho que ele dá um jeito, tem artimanhas e peripércias, cruza o nosso caminho com o de alguém. Ele sabe bem nossas limitações, reconhece fraquezas, renúncias, curiosidades... A pessoa pode servir para que nos precipitemos, julguemos para o melhor ou para o pior, para que saibamos na íntegra a diferença de parecer e ser, para ensinar a diferença de amor e paixão, amigo e colega, pode ser! Pode ser para que nos auto-conheçamos, nos contradigamos, nos desconheçamos, revertamos tudo que tinhamos como certezas, ou ainda como ponte para nos apresentar alguém, outra pessoa, alguma coisa, um livro, um cantor, um interesse, para nos despertar sentimentos, sensações desconhecidas, nem sempre válidas, mas que ficarão como experiência, servirão de lição (amém!). Nem sempre compreensíveis. #Fato! Quase nunca compreensíveis para ser mais exata. Mas o melhor é que se necessário for, o mesmo universo que proporcionou o encontro, revela as respostas do desencontro e fim.

0 Comentários:

Postar um comentário

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf