5.9.12

Quando é arrastado...


Existem duas formas nítidas de participar de um relacionamento, estar comprometido ou envolvido.



Acompanhei um casal composto por uma pessoa! Ele não se esforçava ao menos para agradar, porque nem disfarçava mesmo: ficava feliz quando a namorada ia com as amigas para o shopping sábado de noite e restava para ele somente ir buscar, tirava foto de casal sempre com cara de meme, avisava dos eventos na família 30min antes e ela que corresse para estar pronta, acompanhava em lugares públicos com representação aérea, marcava viagens de negócios para finais de semana e só levava a namorada se ela se oferecesse para ir, ia dormir quando poderia aproveitar o tempo juntos, sumia sem dizer e aparecia como se nada tivesse acontecido...

Esse "namorado" estava envolvido no namoro. E não por cobrança da namorada, que estava oficialmente apta a fazer cobranças, mas porque ele não tinha coragem de ser honesto com seus sentimentos, muito menos com os dela, e não queria desagradar a família que era mais apegada a namorada dele que ele mesmo. Enfim, minha amiga percebeu que ele era um peso que ela não precisava ou merecia carregar...

Esses dias vi fotos dele comprometido em outro relacionamento. Não tive oportunidade de dividir algum ambiente com o novo casal, mas ao menos nas fotos é perceptível a espontaneidade dos sorrisos, em vários ambientes públicos e familiares com direito a legendas sentimentais.

Agora você, que "participa" de um relacionamento, se pergunte aí: está envolvido ou comprometido?

Um envolvimento, as vezes sem querer, para não magoar, porque já deixou muito tempo passar e não sabe como determinar um fim, na maioria das vezes trás mais sofrimento, por ser uma relação de engano - a pessoa se doa ao máximo e sempre acha que o problema é com ela e você não é feliz. Você pode até fazer juramento, dar sua palavra, mas não está alí, não se depositou por inteiro...

Se comprometer vai muito além de um contrato de casamento com direito a comunhão de bens as vezes simbolizado por uma aliança - um vínculo ilimitado, sem início nem fim. Está nos votos, na união e interação, nos sentimentos, fidelidade e lealdade...

Estar comprometido é um pedido de perdão para a traição com o melhor amigo, entende? São mínimas as chances de ser perdoado, mas se fosse só envolvimento, após a burrada cometida, não haveria nem a tentativa de reconciliação. Compromisso é se importar, é uma necessidade de apoio, de presença... é estar envolvido tanto na saúde quanto na doença, compartilhar tanto o medo quanto a segurança, é enfrentar dificuldades, distância se precisar, até sofrer, mas sentir que existe uma ligação de verdade capaz de superar tudo o mais!

Envolvido ou comprometido, existirão situações - ideias ou atitudes -  que não conseguiremos compreender no companheiro. A diferença é que quando a gente tem um compromisso, por vezes entendemos que além de ceder é preciso aceitar, sem mais. Porque nem precisa estar comprometido para saber que nem sempre entendemos a nós mesmos, o medo que nos assola, nos deprime ou mesmo o que nos encoraja... veja lá o que passa inexplicavelmente pela cabecinha e pelo coração daquela pessoa que a gente ama. No se deixar envolver não tem compromisso, mas no compromisso há envolvimento - confiamos no alguém que escolhemos por acreditar que estará alí, em todo tempo, não importa a circunstância, quer seja um erro quase imperdoável ou uma decisão séria que se deve consultar o par, porque o que faz aquilo funcionar é a essência do amor.

No compromisso, acho que não tem nada mais representativo que o aval de um olhar de apoio. As vezes uma decisão está tomada, não há dependência alguma, mas ainda assim tem o vazio representado pela força do consentimento de alguém imprescindível!

0 Comentários:

Postar um comentário

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf