11.9.12

Tal pai, só ele.


Se as especulações de teóricos como Freud, Erickson e Piaget ultrapassarem as transformações bio-psico-sociais e concretizarem o “imprinting” em minha vida,  eu estou las-ca-da armada. Vou esperar muito se é que encontrarei alguém parecido com meu pai que, com certeza é minha primeira paixão, e facilmente será única... não digo exclusiva, mas única, porque volto a afirmar: alguém similar é difícil. Difícil assim: nem que minha mãe orasse todos os dias desde que nasceu por essa causa, tinha tido tanta sorte. Pai não se escolhe, mas se pudesse, teria escolhido ele mesmo e só!



Meu pai é "o cara". E aqui eu falo com nenhuma imparcialidade e um mundo de cumplicidades, com base na imensidão de fãs do "tio/seu Deme" - kkk! Meu pai é mesmo o cara e em detalhes: De me levar para fazer vestibular e me buscar em final de semestre - não me desapego de ser chamada de "companheirinha de viagem". Meu pai é de visitar quando sente saudade, sair da rotina para enviar sms ou ainda bater papo no Face! rs

- Teu pai ouve? - Ouvi de uma amiga surpresa com o fato de meu pai deixar passar no carro um CD "atual" e relativamente pop. Digo mais: ele é de eleger sua música preferida. O namoradinho da minha mãe é surpreendente. Como pai, como marido... daquele que dá "lembrancinha" em época e fora de época. E com uma parcela quase irrisória de erros na vida, ele realmente sabe como agradar. Poderia até ser um pouco mais esnobe do tanto de elogio que sempre recebe, mas é também surpreendentemente humilde. Para matar a população feminina nos gabamos: meu pai não reclama em shopping e se cansar de andar, senta e vira praticamente um cabideiro, pronto para opinar. Eu acho que deve ser um loucura para meu irmão a espera feminina de que ele seja parecido com meu pai... tadinhas! Um dia, quem sabe, com muito esforço, ele chega perto...

Acho que meu pai cansou de receber elogio de participação na vida. Sim, ele ia para aniversário de criança e quando tinha sorte encontrava um amigo para conversar. Ele ia para todas as apresentações escolares possíveis e ainda para as reuniões. Não há dúvida de que meu pai foi um bom companheiro presente e certamente estranhou o momento em que requisitavamos menos sua presença - escutávamos "budejar": "os meninos não querem mais sair com a gente...", com aquele jeito que olhar de gato do Shrek nenhum supera.

Meu pai é família. Aquele bom moço que tem especialidade na cozinha, sabe fazer de tudo um pouco e faz bem feito e não reclama se precisar fazer. Aliás, ninguém melhor que ele para passar as blusas dele - já diz ele! hahá. Arrumar cama, levar guri na escola, brincar com o cachorro quando chega cansado do trabalho... volta e meia quando, na rotina de casa, a gente liga para que ele se apresse para almoçarmos juntos, está na casa da mãe. E não é nenhuma surpresa que seja o "nego" querido das tias, o "irmão conselheiro" dentre 8, aquele que vai tá sempre requisitado em qualquer adversidade.

Meu pai é humano. Se dõa assim, numa proporção louvável e quase insuportável. Eu juro que o celular dele chega a ser mais requisitado que o do prefeito. Meu pai ama sua cidade e quando tudo ruma contra, ele ainda defende. Ele não é somente trabalhador e profissional, ele faz o bem com amor. E claro, uma população acostumada com descaso iria insistir para que ele vire vereador. Ahhh, o meio político! hahá... Longe de nós né pai?! Só em "complexos" bate-papos caseiros a respeito da ciência que ele tanto gosta, e nada mais!

Meu pai dá trabalho. Ele não é bom motorista... ele é o melhor. Ele não joga futebol... ele humilha. Como todo bom brasileiro: louco mesmo por carro e futebol. Nosso time eu carrego com raça, amor e paixão... já o carro. kkk'. Por essas e outras que eu escuto "eu sei o que estou fazendo", "eu posso, você não!" e tenho que segurar o coração para aguentar deslocamento de malar, de ombro e vê-lo ainda todo empolgado na ousadia de partir nas madrugadas para um campo. Ai ai...

Meu pai tem muitas histórias. Aquele senhor sério, embora não chegue nem perto de aparentar o meio século (:P) de idade que tem... é o senhor das resenhas e dos causos cheios de graça. Nas poucas horas vagas, dorme encima dos livros, mas fica acordado em bons filmes. Relevando a lista até grandinha de atores preferidos, ele até tem uma lista de livros lidos com muito esforço, porém, na ponta da língua não falta o incentivo para crescermos, em graça e sabedoria, especialmente diante de Deus. Certamente ele sempre acredita mais em nosso potencial que nós mesmos.

Pode ter tido sempre uma rotina corrida, diversificada, mas nunca deixou de transparecer exemplos de honestidade, fidelidade, carater, paciência. Meu pai sempre se esforçou para ter tudo que quis e em momentos complexos, soube buscar equilíbrio, honrar as calças para ser chamado de homem, de família, e amigo também de si mesmo. Meu pai não expõe nem invade espaço, e se o fizer, se redime. Meu pai não gosta de cobrar e é de ficar deprimido quando contrariado. Meu pai conhece todo muuuundo... e a árvore genealógica bem - e embora as vezes falhe ou confunda a memória, conhece nossos amigos também. Meu pai chega em casa com um assobio e antes de sair se despede com um beijinho na testa - chegou a me acordar cedo tantas vezes "paaaaaara meu desespeeeeero". Mas esse é meu pai!

Que enche o saco, irrita, abusa também. Mas é por preocupação e proteção, por querer bem numa proporção assim, demasiada. Eu reclamo mas no fundo eu sei, ele nunca deixará de analisar o tamanho e o conteúdo do meu prato, numa vai perguntar como está minha saúde já emendando receitas paternamente médicas. Nunca, nunca vou deixar de ser "Laly"... com alguns imitadorezinhos, mas exclusiva do meeeu pai!

3 Comentários:

  1. Lindo texto!! Alguém tão legal assim só pode torcer pro Bahia, né? rsrsr

    ResponderExcluir
  2. Torce, não, Willie. Mas é admirável mesmo! Assino embaixo e acrescento: não teria pedido a Deus alguém mais sensato ou mais amoroso. Por isso, incentivo a todas que me perguntam ou manifestam a dúvida se devem casar, se existem ainda bons maridos. Existem bons homens que, com o devido e carinhoso diálogo, se tornarão maridos maravilhosos. Antes de qualquer escolha, porém, devem pedir que Deus escolha para elas. A recíproca é verdadeira, rapazes! Eu pedi e sou grata por Ele ter-me mostrado as possibilidades do meu eterno namorado.

    ResponderExcluir
  3. Willeee, ele quem me ensinou a ser Flamenguista com muito amooor! Toda imparcial a minha mãe... rs.

    ResponderExcluir

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf