25.11.12

Mandei embora

Não aguentava mais, me convenci do meu valor, estava cansada, merecia amor de volta... te mandei embora!

Como se nada tivesse acontecido lá estava sua voz poucas horas depois me chamando pelo nosso apelido e falando de lembranças, aquelas que você sempre pareceu esquecer muito rápido. Mas eram lembranças tão gostosas que ainda podia ter as sensações. Ignorei, decidi ficar do meu lado, torcer por mim...

Você deu tempo: um dia... e lá estava seu cheiro exalando a toalha de banho e de mesa, a colcha da cama, outra vez. Quase recaí, mas resisti.

Você me deu meses, mas agora fez algum pacto com forças maiores, porque se tornou assombração: deu jeito de invadir meus sonhos, meu ambiente de trabalho, meus intervalos vagos, minhas más intenções. Eu me sentia impotente e respeitava tudo que ainda assim me impedia de seguir em tua direção...

Você retirou de mim a contagem do tempo, deu jeito de mostrar que não precisou pagar para ter posse do meu coração, e colocá-lo no ritmo, aquecer para ficar na temperatura certa, embalar para ficar seguro, preciso e não querer mais nada.

Eu te expulsei e você voltou sorrindo, me convencendo com nada, me aliando na sua luta desarmada...

Eu mandei você embora e é incrível a forma como você resiste e fica aqui, bem permanente dentro de mim!

2 Comentários:

  1. É incrivel esse dom seu de as vezes escrever exatamente o que eu tô sentindo ;) Ass: Seu fã incondicional. David J.

    ResponderExcluir
  2. Ownn, é simples: eu escrevo sentimentos e vc sente! Parabéns pra vc então...Beijo!

    ResponderExcluir

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf