16.1.13

Quando chega o tanto faz.


É isso, agora tanto faz. Eu tinha uma vontade imensa de compartilhar a vida com você, por incontáveis dias te quis, te esperei, te compreendi, mais do que te amei, te perdoei. Quando mais precisei de você, não tive! Te coloquei em um patamar que nem mesmo você alcança, depositei em você uma confiança que você não teve suporte de acoplar. Superei a distância, desejos carnais, necessidades emocionais, pensamentos contrários... Fiz tudo isso sozinha, pois o máximo que você fazia era aparecer de vez em quando para conferir a temperatura da água que você me colocou em banho-maria.

Um apelido carinhoso que poderia facilmente ser falsificado, uma mensagem a qualquer hora de qualquer dia, nada que propusesse perspectiva, nada que me desse segurança, nada que me iludisse extremamente, no máximo, algo que demonstrasse lembrança ou um aviso de chegada para que me preparasse para recebê-lo sorrindo, porque era assim que fazia.

Temi por outras, por você, por mim. Ciumei calada e tive motivos até fantasmagóricos, passados, futuros...! Me preocupei com você por tantas vezes me esquecendo. Deixei adormecer alguns planos e sonhos, permaneci em stand-by, te dei mais tempo do que poderia suportar uma ampulheta velha e enferrujada em pleno vigor da juventude, acolhi teus amigos, movi o mundo por teus pedidos, até aqueles que não eram feitos, eram apenas percebidos.

Você nunca me pediu um perdão por me tratar como mais uma, ou menos, talvez nem percebesse as ofensas e machucados, e eu inventei todas as desculpas que você precisava. Você nunca fez questão de me agradar, me alegrar, se doar, acostumei você a esperar que faria tudo por nós dois.

Não pedirei mais por você na vida, pelo tanto que pedi e ainda não foi dado...Percebi que sou só uma, que as dores machucam até anestesiar e o tempo passa... percebi que você não está acima, muito menos abaixo, mas que não quer estar do meu lado e não me atinge mais. Que a vida me leve pra onde tiver que ir e me traga alguém com as afinidades que encontro em você, mas que queira chegar e ficar. Não te permito me entristecer, me aborrecer, me tirar o sono. Pra mim, agora tanto faz, ou você valoriza, diz, mostra, fala, ao que veio, ou seguirei e encontrarei minha paz, sozinha, acompanhada de tua ausência, deixando que meu silêncio diga tudo o que não disse!

Vou me recompor. Preciso me reencontrar. Voltarei, e até pode ser para você, quando me achar...


0 Comentários:

Postar um comentário

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf