3.4.13

Interesse x preocupação



Algumas pessoas clamam pela tal demonstração de interesse, mas o que mais me chama atenção é que além de não dar, não fazem a menor ideia do que significa, confundido-a constantemente com preocupação.

Olhem bem: "onde você tava?", "tomou o remédio?", "foi no médico?", "já almoçou?", "como foi a viagem?"... essas perguntas remetem a cuidado sim, mas preocupação que poderiam vir especialmente de nossas mães, que se interessam conosco, nestes casos, especificamente nosso bem estar. Muitas vezes tratamos amores como filhos e não queremos que nos tratem como mães ou não suportamos dependência afetiva...rs.

Demonstrar interesse por alguém vai além do superficial, do cuidado, vai íntimo, vai fundo... vai na curiosidade de saber o que qual sua cor preferida ao número que calça, tamanho que veste, saber a comida que você mais gosta mesmo que não coincida com a sua, o autor preferido, o cantor admirado, programa que prefere para passar tempo e o desenho que não perdia na infância, o lugar que gostaria de conhecer no futuro e o que sempre ia no passado quando estava triste.

Procurar e não fiscalizar. Perguntar e não questionar. Conferir e não confiscar. Conhecer sabe?! Diferente de aprisionar, cercar.

Vamos fazer assim, quando você achar que uma pessoa não está demonstrando interesse, por não estar ligando pra te dar bom dia e concretizando com uma sms de boa noite, nem marcando encontro no final de semana ou passeando de mãos dadas para marcar território, quando achar que estar interessado é definir padrões estéticos numa relação, pare e pense se você sabe demonstrar esse dito interesse que afirma sentir e como tem feito.

É complicado essa história de cobrar do outro o que não damos ou destinamos de forma invasiva, desorientada. As vezes somos egoístas em querer atenção, carinho, preocupação, alguém no nosso rastro para alimentar o ego, mas ao invés de demonstrarmos de volta, não reconhecemos as qualidades, os acertos... ao termos a oportunidade de estar junto, fazer bem, agradar, estamos superprotegendo, saturando de abuso, reclamando.

Demonstrar interesse é especialmente não deixar que o orgulho esconda seu desejo, tornar claro o quanto presença do outro faz bem e o quanto a ausencia propõe falta, é deixar perceber, sem precisar falar, o quanto lhe desperta vontade de continuidade, de mais...de curtir, descobrir, independente das diferenças e faltas...

0 Comentários:

Postar um comentário

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf