15.7.13

Como um homem é desenvolvido...




Com renúncia e privações se prepara um cavalheiro!

As qualidades de um homem está em se permitir o segundo lugar, em ceder a vez, em não priorizar-se. Quem quer sempre chegar na frente certamente vai deixar um romance para trás...

Não encontramos educação no egoísta, tampouco no narcisista. Amor é benefício dos humildes, dos que concedem sem medo ou sobressalto, se permitem!

Homem que nunca varreu chão não sabe o que é espantar desgostos. Que nunca lavou prato não sabe o que é se lapidar por amor. Que nunca lavou roupa não sabe o que é esfolar a paciência. Que nunca passou roupa não sabe o que é se queimar no fogo da paixão. Que nunca cozinhou não sabe o que é se domesticar!

São em pequenos comportamentos que surgem os grandes maridos. E eles são sim, grandes filhos, amigos, profissionais por tabela.

Minha vó ensinou minha mãe a observar se o rapaz arrumava a cama, lavava as cuecas. Minha minha mãe já dizia: só se oferece o que se tem. Certamente meu irmão só consegue fazer aquilo que um dia tentou. Meu pai acredita que todo mundo descansa melhor quando descansa junto. E me resta perceber que todo mundo se revela no seio de um lar.

Gentileza é mais que coragem, é um refinamento da experiência, é força de vontade na constância. Não é autêntico ajudar por medo ou obrigação, a autenticidade está em se oferecer antes de ser requisitado.

Maioria dos cavalheiros afloram logo na adolescência. E o heroísmo não precisar estar no escrachado doar de uma flor do jardim, nem mesmo no derretedor abrir de porta com um arquear de sobrancelha e derrubar de cílios sedutor... basta que tire algum tempo para uma conversa atenciosa, um ceder os chinelos ao perceber a dificuldade nos passos da menina, um desprezo a quem ousa cassoar disso.

Não há nada mais irritante para um rapaz na adolescência que o atrapalhar de seu sono, e talvez esteja aí o relato mais declarado de sua essência de cavalheiro: ceder sua cama.

O menino se torna homem quando disfarça a falta de finanças com gestos de ternura. Não existe presunção nisso, existe sentimento.

Não concebo nada mais viril que o menino deixar a dependência do lar e assumir a independência que cuida do outro. É ação não declarada, o zelo gratuito por manhãs a fio.

Homem que se faz sombra, segundo plano, retaguarda. Homem que se possível abafa o sofrimento, abaixa a guarda, releva o fato.

O cavalheiro  acha valor em estar junto, sentir a respiração, imaginar que sonham a mesma coisa, estão seguindo para o mesmo lado. O cavalheiro é romântico a ponto de perceber detalhes fora do seu eu.

A sensibilidade do homem está em pensar na mulher e tornar sua estética apenas uma adição às fontes de suspiros dela. Não precisa ser o gênio da temporada, mas que saiba detalhes da conversa que tiveram na noite anterior. Não precisa ser o mais forte da academia, que seja aquele que desenrosca os mais "firmes" vasos na cozinha dela, não precisa concordar sempre, mas que tenha interesse em resolver a situação!

Feliz dia a quem desenvolveu o ser homem sensível...

0 Comentários:

Postar um comentário

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf