19.7.13

Meu terreno


Até hoje me mantive às margem, protegida por muros. Não fazia sentido baixar a guarda depois de perceber que o que ousava me alcançar era arrebatadoramente passageiro. Com todos foi assim, e não havia a crença na fonte límpida por onde desfilava felicidade de amar. Nenhum outro abraço mereceu segunda chance, nenhum outro me motivou ir além do que eu ofereci. Era fuga, sem dúvidas, mesmo que não inibisse de sentir.

Aí aparece você. Não derruba o muro, constrói uma ponte. E bate na porta, insiste, cativa minha curiosidade, me faz desejar abrir, deixar entrar, ter prazer em apresentar cada canto que me aproximasse de você mais e quantas vezes fosse possível...

Me importo com tuas faltas, claro. No entanto, te tenho em meu pensamento além delas. Gosto da minha versão pra você... é melhor, tem leveza e calma, altruísmo, dose de coragem, covinha no sorriso escancarado, tem confiança, esperança, otimismo. Tuas mãos, quando guiam, quando acariciam, quando me tocam, são recantos para que insista no caminho de te ter. Sinto como se pudesse sentir mais por você, mesmo que já sinta muito e esteja aprendendo a lidar com isso.

Não quero nada nomeado, decretado, divulgado se você não quiser. Não é do meu perfil cobrar atenção se ela não partir do teu interesse. Mas é como se precisasse te contar o quanto me faz bem ser lembrada por você, quanto sou mais inteira quando deixa que eu me aproxime, quanto você sabe a maneira de me deixar feliz.

Saí do meu terreno e meu interesse agora não são as coordenadas para te encontrar, quero você comigo para saber onde posso chegar. Eu quero chegar em você. Até onde posso entrar? Você pode contar comigo, para tudo e para nada, desabafar ou compartilhar o silêncio. Tuas dores me machucam e desejo poder sumir com teus problemas, com aquilo que me proíbe de ver teu sorriso. Talvez não possa fazer muito, mas não me contento em fazer nada. Posso te acompanhar!

Eu queria que você soubesse que independente da distância, do tempo ou das recíprocas questionáveis, meu carinho está plantado no jardim onde o muro protege, mas te dei as chaves da entrada principal. De alguma forma, de forma pacífica, você fez de mim uma aliada profunda, fez surgir na superfície em volta as flores raras e mágicas de sonhos e alegria. Eu sei que posso visitar o seu mundo e te fazer descobrir isso também...mas não vou invadir sua praia!

Aguardo o convite já aceito.

0 Comentários:

Postar um comentário

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf