4.12.13

FikDik em: A lei do desapego

Algumas já até estão manjando dos paranauê. Alguns nascem com isso como se por instinto. É o maior e mais alastrado conselho afetivo dos últimos tempo... Mas fica a dúvida: Qual a fórmula para se relacionar e não se envolver afetivamente?

THIAGO BRAVA - LEI DO DESAPEGO by Va - Vários Artistas on Grooveshark  
   

Eu, sinceramente não sei, não posso nem dar um pitaco de leve - se não fosse idiota nem descia pro play. Sou daquele tipinho que se responsabiliza pelo que cativa e sofre quando se deixa cativar. Se estou junto, estou pra tudo e acima de mim, independente de definições - sou do tipo que remenda e não que joga fora. Por mais que pareça dura na queda, tenho capa mais fina que a do Batman... me apego, não tem jeito!  Então, como responder essa pergunta? 

 Me indaguei até admitir inaptidão. Preciso aprender também! haha. Ousaria dizer que é um policiamento constante contra sentimento, mas ciente de que isso não se controla,  até porque quem ganha só perder com esforço, né não?! Por isso o tema veio pro #FikDik, porque as respostas geniais vêm dos fugitivos, sempre! Simbora:    

  
MD, 21 aninhos de coragem e ousadia.

Eu creio que não exista uma fórmula especifica e sim maneiras distintas de lidar com o que se está sentindo e ainda assim chegar ao mesmo resultado. Relacionar-se com alguém sem se tornar refém dos sentimentos não é um dom e sim uma habilidade, habilidade que consiste basicamente em ser mais razão e menos emoção. Levando em conta que faz parte da natureza humana associar-se emocionalmente ao próximo e já que fomos criados para viver em comunidade é praticamente impossível isentar-se dessas sensações afetivas, então o grande segredo é saber administrar o que se sente mantendo o equilíbrio, auto controle e principalmente saber qual a hora certa de retirar o time de campo, kk .

Dizer o que? Ficou a dica ou não?! Esse cabra autorizou a autoria, mas não queria ter destaque entre os que preferiram se ocultar. haha...
 



LS, 22 de pura covardia :P



A questão não é falta de sentimento não, a questão é fase, quero me instabilizar lá pros 30, de boa, ter minha família, tudo bonitinho. Eu ainda sou dependente financeiramente, "não tenho carro, não tenho teto", nada para oferecer. Minhas prioridades são outras agora. A questão da quantidade é essa, você fica por atração, não dá tempo pra se apegar... porque se envolver já sabe, é problema. Na hora de acabar você não pode pensar no outro porque vai sair de ruim de qualquer jeito!

Não é só mulher que teme reputação não, tá vendo?! Preferiu  ocultar a fama de "...manhoso". Amarga ilusão que sustenta o interesse feminino em algo além do sentimento...  




BR, 23 anos de pura maldade, haha

  Seguir a vibe! Você percebe quando a pessoa está numa coisa com você, quando ela tá correspondendo ou não. Você se jogar de cabeça sem conhecer o terreno é suicídio, pode dar sorte, mas pode morrer, e sofrimento mata aos poucos. Eu não aceito me submeter, ser mal-tratada por ninguém, sou muito jovem pra ser mal-amada, velho. O lance é não confiar, esperar sempre o pior e não se iludir com surpresinhas agradáveis pois elas passam e se revertem. Você deve ser inteira ali naquele momento, você é a melhor, sem frescura, não dá chance pra outra... mas homem tem dessa de se acomodar, marcar território, achar que já estamos ganhas. Não tá mais legal, não tá mais agradando? tem mil homens lindos, ricos, inteligentes, gostosos nos querendo, fofa! É só saber disso que a fila anda, dispenso sem pena, isso quando aviso, haha...

  Sujeitinha miseravona essa, diga aê! Não se entrega por nada, por isso é procurada. #Dyva! Tão bandida que proibiu identificação, haha...

 

DV, 24 anos rodados




 


 Eu já me precipitei por sentimento. Assumi minhas paradas. Não me arrependo! Mas ficou a experiência. Hoje estou ao estilo "Sai do meu pé" [música do Hugria], Eu sei dessa diferença entre quantidade e qualidade, por isso só fico com várias tops, rs. Falando sério, eu sinto pena as vezes e isso me inibe de fazer muitas malvadezas de desapego. A carne é fraca, sou bicho solto, experiente... mas não engano ninguém. O problema é que mesmo sendo sincero as pessoas insistem em criar ilusões, acreditar que vai dar certo, um dia. Eu tô na fase do prazo de validade. Amor somente aos meus em primeiro lugar.   


Eu disse que se soube o nome e endereço já não é desapego. hahah... e se avisa mas pega, não garante o que diz.  




 
AN, 25 anos com a volta dada por cima!

Fia, entrei na bad quando terminei com meu ex. Emagreci e tudo! Meu mundo caiu mesmo porque tinha altos planos de futuro com ele, sabe? Já pensava em tudo com ele, nem turma tinha mais. Tudo que desperdicei com ele agora quero pra mim, tudo! Era besta demais véi, pode ser assim não. Fazia tudo que o menino queria, otária! Arranjei uma playlist retada, fui pra academia, me reestruturei e prometi que ele ia se arrepender e passar raiva. Só fico com um melhor que outro. Não vou dizer que odeio ele não, é mentira, acho até que consigo fazer isso de ficar e tal porque gosto dele.

   'Pensou que eu ia chorar por você, que eu ia pedir pra voltar?!'(8) Tá óbvio que a identidade é secreta né?! Mas vou te confessar: me sinto frouxa perto dessas mulheres!  


JC, 30 anos muito enxutos, obrigada!

Eu fui traída, sabia que tive minha parcela de erro e por isso fiquei por muito tempo acreditando e esperando a reconstrução da nossa história, não rolou... ele reconstruiu a vida dele com outra e eu, mesmo contra vontade percebi que tinha perdido muito tempo e tinha que reconstruir minha vida também, porque aquele amor não era mais nada além de minha imaginação. Tive que me readaptar a vida de solteira, da qual gozei muito pouco tempo - me casei com ele aos dezoito, ele foi meu primeiro homem, a gente aprendeu junto. De lá pra cá sofri muito pois não queria me apegar daquela forma mais nunca. Nisso tudo nunca perdi de vista uma coisa: eu supervalorizo minha felicidade! Curti muito, mesmo que em situações temporárias. Me apaixonei? nooosa, fiquei louquinha, é fisicamente normal ter desejo. Fui usada mas usei muito também, haha. Tenho história pra contar, loucuras que eu nem acredito, experiências hilárias. E hoje é assim, apesar de querer ter uma família, ter filhos, quando eu vejo que as coisas podem dar certo, que podem ficar sérias eu me esquivo, tenho receio. Acho que é isso, tudo depende das circunstâncias, mas o segredo é se amar acima de tudo, se valorizar!    
 
Esse depô tinha que vir mesmo que não identificado, cara, olha a sacada: as vezes a vida nos dá motivo para bloquear os sentimentos, não deixar de tê-los! 

 Dentre as definições que encontrei sobre desapego, a que mais gostei: 
 
Desapego. Soltar. Entregar. Deixar ir. 
Deixar partir. Fluir. Viver no presente.
 Sem o peso do passado, sem expectativas para o futuro. 
Saber de nossa finitude. Saber que somos passageiros. 
Sem posses. Sem medos. Sem culpa.
 
Não sei o autor e parece que não veio de dicionário, mas entendi perfeitamente porque a lei do desapego não funciona com alguns: Exatamente por saber que a vida acaba ela é vivida de forma intensa, entregue, completa e os apegos sentimentais são apetrechos que derivam dessa forma de viver em conjunto - os seres humanos precisam de companhia. Não dá para viver dosando, podando, controlando... 
 
Ninguém sabe se irá se apegar ou não, ninguém pode definir isso de fato - pode começar apaixonado e não dar certo e pode começar desapegado e virar amor... -, tudo é uma mistura de risco e sorte, e daí administrar o que virá então. A mulherada tem uma revanche poderosa que se aprende. Para os homens não existe simplesmente se envolver, mais coisas são raciocinadas. Você só conhece alguém com convívio, só se deixa conhecer com confiança. Se arrisque a conhecer alguém e tenha sorte com a confiança que vai sendo construída com envolvimento, respeito, consideração.     

  Acho que uma coisa que voga mesmo na questão afetiva é o ego. Até onde você está disposto a ceder? a se preocupar? a fazer dar certo? "Bem pouco"?! então meu caro, você sabe o bom e velho "pegar-sem-se-apegar". Outra questão que costuma vir ligada ao ego é a sinceridade que anda em linha tênue com a grosseria e a falta de educação. Aos super-sinceros o meu alerta: você tem formas delicadas de falar a verdade e não ser leviano com corações!  

 E vocês, o que acham? Deixem suas dicas, compartilhem, deixem o joinha aí embaixo... Até a próxima fugitivos!

0 Comentários:

Postar um comentário

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf