25.3.14

Cá entre nós



Não me fale que você sente muito se age como se não sentisse nada. E eu sei que não sente raiva, claro que não, nem bêbada eu te daria motivo, pelo contrário, me doei e pago por isso. Sempre deixei meu orgulho para admitir e nunca tive vergonha de pedir perdão quando te irritei, talvez assim me desarmei.

 Sei que reconhece, porque tentou sustentar até não mais conseguir. A gente desiste do que não quer, não sustenta por muito tempo o que nunca quis - insistência é verdade, o que não é um silêncio fugitivo! Se você insiste, acredito que não está arrependido, sei que é indiferente o bastante para virar um inimigo, mas não me convence de que quer ser ao menos um amigo. Se fui tão "descartável", não entendo como se contraria quando digo que se ficaram apenas nos bons momentos, o sentimento foi fantasia.

 Você sente vontade de me afastar e isso você faz. Não diga que é melhor pra nós dois se eu já não sou consultada, não significo nada, nem fico em paz. Esteja livre em fazer a sua vontade, não se engane fingindo pensar em mim, isso não te faz menos egocêntrico, enfim.

Não ache que baseado em suas experiências pode me dizer o que eu devo fazer... experiências são únicas, sentimentos também, eu tenho as minhas e você não se importa com o que eu sinto quando disse que todo mundo é capaz de superar e eu devo apenas seguir em frente. Você "apenas" seguiu, não é?! Espero que não sinta o que te impeça de "seguir" novamente.

 Não me venha falar de erro, tentar me conscientizar para que eu me solidarize com alguém que te ajudou a se transformar. Não diga que me entende se está bem e feliz. Não me pergunte se eu vou ficar bem se isso é o que eu sempre quis! Toda vez que a gente desfalece o que recupera é sobrevida. O que uns chamam de largada outros chamam de partida.

Não se desculpe pelo que você fez ou deixou de fazer, não se ache pouco ou superior, não se ofereça para que te xingue nem mereça que te "mate". Também não posso me desculpar pelo que eu sinto... O que você fez, aquilo foi autêntico mesmo que me esforce para acreditar que não tenha sido proposital. Acredite, não te quero nenhum mal. Guarde seus bons desejos e sua felicidade, afinal, não precisa pedir que eu fique feliz por você, por mim que tá complicado ser.

 O fato de não querer me magoar não muda o fato de ter me magoado. Não tente consertar nada, baby, você não pode, e não é para se sentir culpado. Quando pôde preferiu deixar que eu me responsabilizasse e não se comprometer para não ser covarde. Você sabe, apenas admita pra você que deveria ser diferente já que você tinha dúvida a curto prazo se poderia, porque a longo prazo sabia que não queria. Admita porque eu sei que eu me iludia. Admita que para dar certo nenhum esforço havia. (...)

Se ao invés de se armar conseguir admitir, vai poder contornar tudo isso e fazer outras, melhores memórias. Eu sei que preferia que eu me cale e fim, mas me importo e sem clareza isso ficaria entalado em mim. Se sente leve me castigando agora? aproveite o peso da sua vitória. Eu não vou esquecer, sei que você também não. Eu te perdoo e também a mim. Talvez você algum dia conte nossa história como mais uma, sorrindo. Pra mim foi inédito, não contarei sorrindo assim. Mas se não é feliz e não existe vilão, devo acreditar que pode não ser o fim...

Por alguns momentos, por gostar de você e isso me fazer melhor, senti pena de mim. De repente fui a garota que não era o bastante, mesmo sendo comparada com um nada. E pra isso não precisa cobrança ou expectativa criada, não é verdade? Pois é, me senti nem boa, nem inteligente, nem bonita ou digna o bastante. E nunca fui olhada dessa forma porque não sou esse tipo de garota. Você sabe bem disso! Talvez não saiba o quanto isso me deslocou em minha própria vida.

Mas não vou te atingir de forma nenhuma, não quero te machucar porque eu sei que intacto, se houver algum sentimento e um pouco de sinceridade em você, vou estar na sua consciência pelo resto da sua vida. E eu não vou me sentir assim com você. Ainda sei que não preciso me achar melhor para me amar, relações são equilíbrios e não vou me enganar, se eu sofro, cada marca e lágrima é porque escolhi te abrigar. Tudo que esperei foi por confiar. Entenda quando eu digo que não tenho porque te menosprezar.

 E não, sentimento não é nem nunca foi escolha, surge a partir delas! O que não vou me permitir é me sentir triste, brava ou lamentável por mais de um minuto. Você conseguiu o que queria! Porque não vou manifestar que me importo com você, como anestesia. Perceba, vou me acostumar a não manifestar. Se eu não cumprimentar, não "lembrar" do seu aniversário ou que está vivo, é porque para mim você decidiu "existir" e me obrigou a isso.

A distância que impôs afirmando estar sempre ao alcance terá uma simples porteira por aqui, pode realmente vir, não se canse. Já que registrou seu lugar, prefiro receber visita que notícia. Eu sei quem tive prazer em conhecer, alguém que pode voltar a não ser um desprazer. Desejo boas companhias, vida longa e sorte no esforço que faz em me perder.

Laís Sousa









0 Comentários:

Postar um comentário

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf