12.7.14

Que seque!



Hoje eu li aquele texto.
Você quem escreveu,
entre outros,
 escreveu para mim.
Resisti todo ele
encarando as boas lembranças
e desabei no final,
quando nenhuma delas se fizeram novas.
Li mais,
li você,
 te imaginei.
Porque justo hoje,
 tuas declarações me machucam.
Eu não mais existo ...
 pra você é normal ser outra pessoa.
Isso não é banal!
Hoje o silêncio paira
e já entendo o "pessoa errada"
 que você não cuidou em dizer.
Hoje eu lembrei daquele tempo
em que acordava pensando em você.
Continuo a acordar,
mas sinto tua falta!
Hoje sinto saudade da tua voz,
das brincadeiras bobas e irritantes entre nós.
Hoje é complicado lembrar
 que nossa sintonia
não passou de fantasia
e pra você passou.
Hoje é involuntário não chorar,
eu tenho o mundo inteiro
mas é você que queria comemorar.
Eu sei, já sabia antes de você
 que ninguém é só feliz,
mas essa tristeza não me faz aprender
nem curar.
Hoje eu queria desligar a memória,
 para não lembrar na história
 o que me faz sofrer.
Hoje a minha certeza
de que fiz o meu melhor
 e o que foi possível,
não significa nada
e é visto de outra forma por você.
Hoje eu sei porque acumulei
 lágrimas por toda vida,
porque fui forte
e tantas vezes apenas guarita...
Não esperava,
mas era você quem viria
me fortalecer como represa
 para fazer desaguar.
Até secar.

Que seque!
Sequer é doce,
se por doze...
então salga.

0 Comentários:

Postar um comentário

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf