6.7.14

Te alcançaria



Um pedaço do acaso.
 Uma demora na história.
 Uma divisa em minha vida.
A parte de mim que te expulsa me implorando:
 "Por favor, não vai embora!”
Se você for eu sei que não vai deixar um recado carinhoso,
Vai repetir tudo aquilo que foi tão doloroso.
Não vai deixar meu coração em cima da cama,
Vai lembrar dele em algum momento do caminho,
vai jogá-lo pela janela...
Trocar por um perfeito aos olhos.
Vai desvalorizar o invisível.
Eu estou aqui num escuro trancado,
vendo você brincar e valorizar o lado errado.
Enviando mensagens que você não vai responder...
Nem mesmo meus gritos desesperados que dizem:
"preciso de você!"
Eu me esforcei feito criança
 que esquece a raiva
e em dois minutos baila na dança.
Mantive a distância que você queria
arrumando a bagunça que era só minha...
Eu acreditei na sua volta,
mas você não se importa.
Não balançou,
 nem ao menos para dizer “valeu”.
Eu sei que pra você não era eu,
mas se você não enxerga,
 ao menos respeita a dor?
Por amor.
Não me faça chorar tantas vezes,
vida a fora...
Se quer sair da minha vida
dê um jeito de me levar a memória...
Dá um jeito de piorar o que você já foi,
Dá um jeito de matar a esperança que renasce em depois.
Eu passo tanto da minha vida me equilibrando
 na imaginação e no aval do teu sorriso,
Você não tem noção,
você não faz ideia do quanto me limito com isso.
Eu que não passei de preenchimento
 de um tempo vago.
O milagre que preciso
não enterra com silêncio ou rancor.
Escutei o jeito que você queria,
Sentia culpa se não era isso que fazia.
As rejeições por coisas que fizemos,
 tomei por problemas meus, não seus
os fiz pequenos.
Te contei,
 de verdade não pesei.
Me perdi em sonhos querendo encontrar teu olhar,
De lágrimas embaçando para você não desviar.
Me perdi em ciúmes, em tristeza, em descrença...
Sua confiança cansou minha insegurança, sem ofensa!
Enchi meu coração com suas verdades pesadas...
 Noites inquietas, manhãs mal passadas.
Tanto tempo com tua nitidez.
Tentando tapear a vontade do meu corpo
 com o sono que você vinha assombrar.
Tentando evitar as drogas e bebidas
que nunca chegaram ao patamar de vício em que você está.
Tentando lembrar de trancar e não esquecer a chave na porta
por onde você não iria entrar.
Uma parte da minha vida
arrumando meu medo de envolver
para deixar você me acompanhar.
Uma parte engasgando as palavras
que meu coração já não deve falar.
E dizer, que amo você
Que não sei te perder
Que te alcançaria onde você me deixasse chegar.

0 Comentários:

Postar um comentário

 
- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.CKrB3I8o.dpuf